ETA / ETE
E.T.A - ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA
 
A E.T.A de Mogi Guaçu, tem sua captação em dois (02) pontos do Rio Mogi Guaçu. O primeiro ponto fica situado acima da "Barragem" da P.C.H (Pequena Central Hidroelétrica) da Cachoeira que envia por gravidade até a "Captação Central" juntando-se com o 2º ponto de captação do Rio Mogi Guaçu. Nesse setor está localizada a casa de bombas, que através de tubulações de grande diâmetro - 500 e 800mm, enviam por bombas possantes toda água aduzida do rio até a Estação de Tratamento Água a uma distância de 2 km. O volume é de 2.200 m³ a 2.400m³ / hora enviado para o tratamento da água "In Natura" ou "Bruta".
A água enviada para E.T.A é recebida na Calha Parshall, onde recebe os produtos químicos iniciais como "CLORETO FÉRRICO" e "HIDRÓXICO DE CÁLCIO", para produzir a "Floculação" e a "Decantação" dos flóculos formados. Observa-se que desde o inicio do processo, são efetuadas as análises físico-químicas e bacteriológicas para o perfeito tratamento da água e sua desinfecção. Todas as fases são controladas 24 horas por dia.

A E.T.A é composta por:

- Nove câmara de floculadores para agitação e formação dos flóculos para decantação;

- Quatro decantadores que realizam o processo de decantação dos flóculos formados;

- Sete filtros com duas câmaras cada, com camadas de areia específicas na granulometria e altura de camadas, próprias para efetuarem a melhor filtração possível. Até os decantadores são eliminados 70% das bactérias presentes na água "in natura", e nos filtros são removidos 95% do total.

Após a filtragem são adicionados outros produtos químicos como: "CLORO" que é utilizado para a completa "desinfecção" da água, eliminando microorganismos que possam estar presentes, "SOLUÇÃO DE ORTO-POLIFOSFATO DE SODIO" como auxiliar no combate a "COR" causada por Ferro e Manganês, "ÁCIDO FLUORSSLÌCO"- FLUOR utilizado para a preservação da cárie dentária.

A E.T.A tem capacidade de armazenamento e estocagem de 5.600m³, todo o processo do tratamento de água é acompanhado por análises físico-químicas de hora em hora, com PH – Turbidez – Fluor Cloro - sabor - Odor e Bacteriológica, com freqüências estabelecidas: diariamente/mensalmente/trimestralmente e semestralmente da água In Natura e da água tratada na E.T.A, como também na rede de distribuição. São efetuadas as análises exigidas pela Portaria nº 1469 e as estabelecidas por Laboratório da E.T.A Os mesmos controles são efetuados nas Estações de Tratamento de Esgoto com suas análises específicas com freqüência tipos diversos.

 
R. João Bueno Júnior, 320 Jardim Bela Vista - Mogi Guaçu
 
SISTEMA CONVENCIONAL

Podemos descrever este sistema, com termos de fácil compreensão, da seguinte maneira:

a) CAPTAÇÃO: água bruta é bombeada à ETA através de conjuntos de moto-bombas;

b) RECEPÇÃO DE ÁGUA "IN NATURA" (VERTEDOR): a água passa por um ponto de maior agitação onde é adicionado o Cloreto Férrico (FeCl3), produto químico que em presença de água se dissocia em íons (hidrólise), os quais irão atrair para si sólidos presentes na água ou mesmo partículas coloidais hidrófobas, bactérias e algas, aglomerando-se, os quais formam os flóculos;

c) COAGULAÇÃO: consiste na mistura rápida que se realiza pelo movimento da água ao longo da calha Parshall;

d) FLOCULAÇÃO: consiste na formação dos flóculos por agitação lenta, mecânica e em câmaras especiais, onde os coágulos sofrem impactos entre si e os de carga elétrica contrária se ligam por força da carga elétrica, formando os flóculos, os quais atingem densidade maior que a água;

e) DECANTAÇÃO: consiste de uma câmara de volume calculado para que a velocidade da água seja menor que a velocidade de sedimentação dos flóculos, evidentemente os flóculos vão ao fundo, seguindo a água livre de impurezas sólidas para os filtros. Na decantação temos remoção de aproximadamente 70% das bactérias presentes na água "IN NATURA";

f) FILTRAÇÃO: ocorre nos filtros rápidos de areia, por gravidade. Nos filtros ficam retidos flóculos menores (vírus, bactérias, algas e colóides) que porventura os venham a atingir. Dos 30% das bactérias ainda presentes na água decantada, na filtração são removidas 95%.

g) DESINFECÇÃO: consiste na aplicação de cloro gasoso na água filtrada, para eliminar, se porventura ainda persistirem, vírus e bactérias na água tratada;

h) CORREÇÃO DO pH: numa última etapa, faz-se a correção final de pH, quando necessário, tal que se elimine totalmente o Gás Carbônico existente na água, o qual é prejudicial à rede de distribuição, provocando corrosão ou encrustação das mesmas.

A ausência de Gás Carbônico impede a formação de carbonatos (CO3) e bicarbonatos (HCO3) na água tratada.

O SAMAE, através de seu laboratório de análise físico-químicos, instalados na ETA, realiza diariamente análises da água distribuída para o abastecimento público, as quais devem se enquadrar em limites máximos e mínimos, estabelecidos pela ABNT-PB-19, a OMS e a Portaria 1469/00 do Ministério da Saúde.

PARÂMETROS FÍSICOS:

- Turbidez, Cor, Odor e Sabor.

PARÂMETROS QUÍMICOS:

- Acidez, Anidrido Carbônico (CO2), Alcalinidade, Oxigênio, Hidróxido de Cálcio Solúvel, Oxigênio Consumido (matéria orgânica), Flúor, Dureza, pH e Cloro Residual.

 
 
E.T.E - ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO
 
ETE - Av.Brasil
ETE - Córrego dos Ipês
   
Obras da nova ETE da Av. Brasil "Lodos Ativados"
ETE - Martinho Prado Jr.
"Lodos Ativados"
   
ETE - Martinho Prado Jr.
"Lodos Ativados"
ETE - Martinho Prado Jr.
"Lodos Ativados"
 
 
 
 
 

10 m3/s

Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto de Mogi Guaçu
Rua Paula Bueno, 240 - Centro - Mogi Guaçu/SP
(19) 3831-9888 / 0800 102028


© Todos os direitos reservados